Erisipela

Existem algumas doenças que só de ver sabemos que pode ser grave, já que seu aspecto físico demonstra o potencial dela. Geralmente doenças na pele desenvolvem uma cara nada agradável e que, se não tratada, podem facilmente levar uma pessoa a óbito, graças a uma possível infecção generalizada.

O que é Erisipela?

A doença erisipela é uma infecção bacteriana (da bactéria Streptcoccus pyogenes) que ocorre na camada superficial da pele. Ela provoca algumas feridas bastante avermelhadas que se inflamam e são muito dolorosas. Apesar de poder se desenvolver em qualquer parte do corpo, ela ocorre geralmente nas pernas, braços ou rosto.

Além disso, ela pode acontecer em qualquer um, mas é mais frequente em pessoas com mais de 50 anos, diabéticos e obesos. A erisipela pode aparecer de uma maneira ainda mais grave, chamada de erisipela bolhosa, que além dos sintomas já ditos desenvolve feridas com bolhas com líquido transparente, marrom ou amarelo.

Sintomas da Erisipela

Os principais sintomas desta doença aparecem do nada e de maneira realmente forte, sendo sempre acompanhados de febre superior a 38º e calafrios.


Entre os principais sintomas, estão: feridas vermelhas na pele, com presença de inflamação e muita dor; manchas vermelhas com bordas irregulares e elevadas; sensação de queima na região afetada e; no caso da erisipela bolhosa, desenvolvimento de bolhas e escurecimento da região afetada.

Importante ressaltar que se a lesão não for tratada corretamente e rapidamente, possível as bactérias irão causar acúmulo de pus, necrose da pele e ainda podem atingir a circulação sanguínea, o que caracterizaria uma infecção generalizada e risco de óbito. Caso a infecção chegue nas camadas mais profundas da pele, a doença irá se transformar em celulite infecciosa.

Erisipela

Causas

A erisipela acontece quando bactérias que vivem em nossa pele entram no corpo por alguma ferida, úlcera venosa crônica, picada de inseto, frieira, pé de atleta, entre outros. Por essa razão acontece com mais frequência nas pernas.

Apesar de qualquer pessoa poder desenvolver esta infecção, as que possuem o sistema imunológico mais fraco são as mais suscetíveis. Por isso a importância de sempre manter protegidas as feridas de seu corpo.

A principal bactéria que causa a doença é a Streptcoccus pyogenes (conhecida também como Estreptococo beta-hemolítico do grupo A), mas outras bactérias podem fazer isso, como a Staphylococcus aureus.

Diagnóstico

O diagnóstico da erisipela é realizado pelo dermatologista através da observação e dos sintomas apresentados pela doença. Na grande maioria dos casos, não há a necessidade de realizar exames específicos. É importante procurar ajuda médica assim que os primeiros sintomas vierem à tona.

Tratamento da Erisipela

Esta doença pode ser tratada em casa a partir da ingestão de antibióticos, como Amoxicilina, Penicilina ou Ciprofloxacino. O período de tratamento varia entre 10 a 14 dias, de acordo com cada caso.

Quando as lesões são mais extensas, quando a infecção atinge a corrente sanguínea ou já se caracteriza o quadro de episitela bolhosa, pode ser necessária a administração de antibióticos via injeção intravenosa. Alguns cremes podem ser prescritos para o alívio dos sintomas.

A doença, se não tratada, pode se tornar crônica, indo e vindo com o tempo. Nesse caso, a penicilina benzatina será aplicada de maneira intramuscular a cada 21 dias. Apenas em casos de lesões extremamente graves como necrose e secreção purulenta será necessária a intervenção cirúrgica que irá remover áreas de pele morta e pus.

Prevenção

A melhor maneira de prevenir o desenvolvimento desta doença é cuidando corretamente dos ferimentos na pele, mantendo-os sempre limpos e protegidos.

As principais recomendações, além do cuidado dos ferimentos, são: enxugue bem entre os dedos dos pés para evitar frieiras; proteja com curativos qualquer ferimento; manter o peso corporal dentro do recomendado; utilizar hidratante para evitar o ressecamento da pele, especialmente nos pés; lavar qualquer ferimento; tratar qualquer doença de pele; trocar de meias todos os dias, dando preferência as de algodão e; evitar calçados apertados.

Erisipela é contagiosa?

Não, a erisipela não é nada contagiosa, pois ela só desenvolve quando as bactérias que já vivem em nossas peles conseguem entrar no nosso corpo através de uma ferida.

Mas e se eu tiver contato com a ferida infeccionada de alguém? Só se for contato com uma ferida sem eu corpo também. E isso não vai acontecer pelo simples motivo da doença ser extremamente dolorida, sendo bem difícil manter contato com ela.

Fatores de risco

Todas as pessoas de qualquer gênero e idade podem contrair erisipela, desde que haja espaço para as bactérias de sua pele entrarem em seu corpo. Entretanto há grupos onde essa doença se prolifera com mais facilidade.

Entre os principais grupos de pessoas, estão: idosos; pessoas com diabetes descompensada; pessoas que sofrem de ferimentos constantes nos pés; pessoas com micoses entre os dedos e micoses de unha; pessoas com pé de atleta; pessoas obesas; insuficiência venosa; pessoas com tendência a varizes e; pessoas portadoras de linfedema e imunossuprimidos.

Diferenças de Erisipela e Celulite

As duas são infecções agudas na pele, sendo que a celulite infecciosa é mais grave e atinge camadas mais fundas da pele. Os principais sintomas dessa celulite são febre; pele avermelhada no local afetado; dor local; inchaço do local afetado; calafrios; inflamação das ínguas próximas à região afetada; dor de cabeça; vômitos; mal estar geral e náuseas.

A celulite infecciosa pode causar infecção geral do organismo e, como consequência, morte.

como tratar erisipela

Pergunta dos leitores

Existe um tratamento caseiro da Erisipela?

Além da utilização de antibiótico, é recomendado repousar e elevar a parte afetada a fim de diminuir o inchaço local. Compressa fria também pode ajudar no alívio dos sintomas.

Existem alguns tratamentos caseiros que podem ajudar na cura de erisipela, mas que só devem ser realizados com a autorização do médico. São eles: compressas de zimbro, lavagem com bicarbonato de sódio, massagem com óleo de amêndoas e lavagem com hamamélis.

Erisipela pode matar?

Sim, mas apenas se não tratada e se evoluir para outros quadros, como infecção generalizada. Isso ocorre quando a infecção pelas bactérias atinge a corrente sanguínea, podendo causar a doença em qualquer parte do corpo.