Diverticulite

O que é Diverticulite

Conhecida também como inflamação dos divertículos ou diverticulose do intestino grosso, a diverticulite é uma inflamação que se caracteriza especialmente por quistos e bolsas pequenas e salientes localizada na parede interna do intestino. Os divertículos, mesmo podendo se formar em qualquer setor do trato digestivo, como o estômago, e esôfago e o intestino delgado, aparecem com mais frequência no intestino grosso.

Divertículos se formam no corpo com bastante frequência, especialmente nas pessoas que alcançaram a meia-idade (após os 40 anos de idade). A aparição de divertículos em qualquer parte do trato digestivo é denominada de diverticulose. Em geral, eles são bastante inofensivos, mas podem se desenvolver para algum outro problema de saúde, como a própria diverticulite. Mas na maioria das situações, a pessoa pode ter diverticulose e mesmo assim nunca ter conhecimento disso.

Sintomas de Diverticulite

As pessoas que têm divertículos, sem que haja a inflamação, não apresentam sintomas em quase todos os casos. O máximo que pode acontecer é sentir cólicas e inchaço na parte inferior do abdômen. Em situações mais raramente, elas podem notar um pouco de sangue nas fezes ou então no próprio papel higiênico.

Agora quando esses divertículos evoluem para uma diverticulite, os sintomas são mais graves e tendem a piorar em pouquíssimos dias. Os sintomas mais comuns são gases e/ou inchaço, sensibilidade (que geralmente é sentina na parte inferior esquerda do abdômen), calafrios acompanhados de febre, náuseas e vômito, falta de fome e, como consequência, alimentação insuficiente.


Causas

As causas da diverticulite ainda não são totalmente conhecidas, entretanto é consenso na comunidade médica que fazer uma dieta pobre em fibras facilita o aparecimento dessas bolsas e quistos. Quando há falta de fibra no corpo, ocorre constipação e as fezes endurecem, o que demanda mais esforço para que elas passem pelo reto. Tal situação aumenta a pressão no cólon e/ou nos intestinos, possibilitando a formação desses quistos.

Em geral, a diverticulite é ocasionada por pedaços pequenos de fezes que se prendem quistos e deste modo provocam infecções e inflamações. Apesar disso, apenas uma pequena parte da população que desenvolve divertículos apresentam complicações.

Fatores de risco

Dentre os grupos que mais apresentam chance de desenvolver diverticulte, estão as pessoas acima dos 40 anos, pois é mais comum a presença de divertículos na população acima dessa faixa etária.

Além disso, pessoas que têm uma pobre dieta em fibras também correm esse risco. Carboidratos e alimentos processados em geral são alimentos com poucas fibras e existem muitos grupos (seja por preferência ou cultura) que fazem uma dieta com base nesses tipos de alimentos.

Apesar de ainda não saber o motivo exato sobre a relação entre o desenvolvimento de diverticulite e pessoas que fazem poucos exercícios físicos, pessoas obesas ou fumantes, sabe-se que elas apresentam risco maior de apresentar essa doença.

Diagnóstico de Diverticulite

Como a presença de divertículos geralmente não apresenta sintomas, o comum é que a pessoa descubra que possui isso “por acaso”, apenas com exames de rotina. A diverticulite, porém, é identificada após uma crise de dor abdominal.

O maior problema é que dores abdominais podem ser sintomas de vários outros problemas de saúde, então é necessário que alguns exames a mais sejam feitos. Além disso, o critério de eliminação é utilizado para identificar qual é a doença e ele é feito com base em perguntas e outros sintomas.

Quando há maior suspeita de diverticulite, a exame para diagnosticar é uma análise do abdômen em busca de regiões sensíveis. Após isso, um exame de sangue será feito para fazer a contagem de glóbulos brancos. Isso porque o excesso de glóbulos brancos indica infecção.

Após chegar nesse passo e constatar uma infecção, exames de imagem serão necessários (tomografia computadorizada, principalmente) para visualizar as partes onde há a inflamação que veio da infecção.

Tratamento de Diverticulite

O processo para tratar diverticulite depende muito da gravidade dos sintomas e da intensidade. Tanto que alguns casos podem ser tratados em casa (desde que siga corretamente as orientações médicas) e outros precisam ser internadas no hospital. Quando o tratamento é caseiro, é possível se curar com uma mudança alimentar, onde haverá maior ingestão de fibras. Apenas em alguns casos é indicado algum remédio.

Quando se faz necessária a internação hospitalar, geralmente é porque o paciente está sob risco de mais ataques de dores abdominais ou apresenta complicações da diverticulite, como obstrução intestinal ou peritonite, que é uma condição bem mais grave.

Apenas em casos bem mais graves, quando houve uma séria evolução da diverticulite e de suas consequências é que a cirurgia se faz necessária. Os dois métodos de cirurgia que podem ser feitos são a ressecção intestinal via colostomia e a ressecção primária do intestino.

Prognóstico

Como em boa parte dos casos o tratamento é caseiro, o que é indicado ao paciente é: repousar e o fazer o uso de bolsas com água quente na área abdominal; beber apenas líquidos por até dois dias, de maneira lenta, e depois ingerir líquidos espesses para só então voltar a se alimentar normalmente e; se necessário para aliviar sintomas, tomar os analgésicos prescritos pelo médico.

Uma fez formados esses quistos e bolsas, eles ficarão para sempre em você. Mas com uma dieta apropriada, as chances de desenvolver diverticulite novamente são mínimas.

Complicações possíveis

Apesar de ser um problema não tão grave, o não tratamento a tempo de diverticulite pode ocasionar problemas secundários muito mais graves, como peritonite, buraco/ruptura no cólon, sangramento retal, abcessos (bolsões com pus), fístula e estenose.

Diverticulite

Como evitar

Não há maneiras cientificamente comprovadas que irá evitar totalmente a aparição de diverticulite, apenas é indicado uma alimentação mais balanceada para diminuir as chances de desenvolver diverticulite.

Oque pode e não pode comer na Diverticulite

Durante uma crise de diverticulite, o médico irá indicar uma alimentação líquida por até dois dias, sendo que após isso será uma dieta de líquidos mais espessos. Depois de alguns poucos dias será necessário diminuir a quantidade de alimentos processados e carboidratos, além da ingestão maior de fibras.

Alguns alimentos que aumentam a chance de desenvolver diverticulite e que devem ser evitados em uma crise: feijões, ervilhas, coco, grãos não refinados, milho, pipoca, cascas de legumes e frutas, frutas secas, tomates, picles, pepinos e morangos. Além disso, evite beber em excesso café, bebidas alcoólicas ou chá.

Tratamento natural de Diverticulite

Em geral, o tratamento para diverticulite é natural, sendo necessária apenas uma mudança na alimentação nos primeiros dias. Nesses casos, o uso de remédios é raro e apenas para aliviar os sintomas. Só em casos graves são indicadas tratamento hospitalar ou cirurgia.

Pergunta dos leitores

Diverticulite pode matar?

A divertilute, sozinha, não irá levar ninguém à fatalidade. Acontece é que suas complicações podem ser fatais, especialmente se não tratada a tempo e acabar desenvolvendo peritonite, uma infecção generalizada nos órgãos do abdómen. A peritonite pode levar à uma infecção generalizada por todo o corpo (sepse).

Quais os remédios para Diverticulite

Não são recomendados remédios para tratar diverticulite, pois a mudança alimentar é o tratamento. Apenas são prescritos analgésicos para aliviar os sintomas durante o período de tratamento.

Diverticulite tem cura?

Sim, a diverticulite tem cura. O que nunca some são as bolsas e quistes, que não trazem nenhum mal para a pessoa.